Setembro Amarelo: Praça Teixeira Brandão terá ações de prevenção contra o suicídio

Dados da OMS (Organização
Mundial da Saúde) mostram que, no Brasil, 32 pessoas cometem o suicídio a cada
período de 24 horas. Já em todo o mundo, uma pessoa tira a própria vida a cada
40 segundos. Uma das causas principais do suicídio, a depressão é considerada
um problema de saúde pública no território brasileiro. A doença registrou um
crescimento de 52 por cento no número de atendimentos ambulatoriais e de internações
entre 2015 e 2018, segundo o SUS (Sistema Único de Saúde), passando de 79.654
para 121.341 procedimentos.

        Diante deste cenário preocupante, a Prefeitura de Quatis,
através da Secretaria Municipal de Saúde, realiza nesta quinta-feira, dia 26, de
8h30m às 11 horas, na Praça Teixeira Brandão (foto), uma ação educativa para
marcar a passagem na cidade do “Setembro Amarelo”. “O Setembro Amarelo” é
promovido no Brasil desde 2015, por meio de uma ação conjunta entre o CVV
(Centro de Valorização da Vida), o CFM (Conselho Federal de Medicina) e a ABP
(Associação Brasileira de Psiquiatria). A iniciativa tem como objetivo prevenir
a ocorrência de suicídios, mediante a realização de campanhas informativas.

        A programação desta quinta-feira, na Praça Teixeira Brandão,
prevê várias atividades preventivas e de orientações à população por parte de
profissionais da própria Secretaria de Saúde da Prefeitura de Quatis, entre
eles, psicólogos da CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) e do CREAS (Centro de
Referência Especializado de Assistência Social), além da distribuição de
folhetos informativos; da aferição de pressão arterial; do teste de glicemia; e
da leitura de redações relacionadas ao tema.

No
caso das redações, elas vão ser feitas e apresentadas por estudantes do Colégio
estadual Américo Pimenta, que participarão do evento também com uma pequena
biblioteca. A programação terá ainda ações preventivas coordenadas pelo Programa
Municipal de Saúde do Trabalhador e atividades físicas sob a coordenação da
Secretaria de Esportes e Lazer do Município, visto que a prática regular de
exercícios físicos é considerada por especialistas como de fundamental
importância na prevenção contra as doenças emocionais.

A
Secretaria Municipal de Saúde lembra que, na região sul fluminense, os três
postos fixos do Centro de Valorização da Vida mais próximos de Quatis se
localizam em Resende, Barra Mansa e Volta Redonda, os quais realizam
atendimentos 24 horas por dia, inclusive aos sábados, domingos e feriados,
através do número telefônico 188 (ligação gratuita de qualquer telefone fixo,
celular ou orelhão). Atuando de forma conjunta com o Ministério da Saúde, na
prevenção do suicídio e na valorização da vida, o CVV vem realizando uma média
de três milhões de atendimentos por ano. Este balanço corresponde aos
atendimentos feitos por todos os postos do serviço instalados no Brasil.

De
acordo ainda com o Sistema Único de Saúde, no período de 2015 a 2018, os
atendimentos ambulatoriais e as internações provenientes da depressão
aumentaram 115 por cento entre os adolescentes e os jovens na faixa etária de
15 a 29 anos. Os registros, dentro deste segmento da população, aumentaram de
12.698 para 27.363 casos, motivo pelo qual a Secretaria Municipal de Saúde vai
priorizar as ações educativas para esta faixa etária no evento desta quinta-feira.

 As campanhas de prevenção contra o suicídio e
a depressão, desenvolvidas durante o “Setembro Amarelo”, pelo CVV e o Ministério
de Saúde em 2019, têm como temas “Falar é a melhor solução” e “Se liga! Dê um
link na vida”, respectivamente. A denominação “Setembro Amarelo” está
relacionada ao caso de um rapaz de 17 anos, que no ano de 1994, nos Estados
Unidos, cometeu suicídio, dirigindo o um carro da cor amarela. Durante o
velório, familiares do rapaz distribuíram fitas amarelas. Além disso, no sistema
de trânsito, o amarelo significa “situação de alerta”.

Especialistas
destacam a importância da prevenção como forma de diminuir os registros de
suicídio, afirmando que, segundo a Organização Mundial da Saúde, nove entre dez
casos podem ser evitados com a realização de ações educativas e acompanhamentos
juntos aos pacientes.

Entre
os fatores que devem merecer uma atenção especial da família e dos
profissionais, estão os seguintes: isolamento; mudanças de hábitos; perda de
interesse por atividades que gostava de fazer; descuido com a aparência; piora
no desempenho escolar ou no trabalho; alterações no sono ou de apetite, além da
repetição de frases como “preferiria estar morto” ou “quero desaparecer”.

Leave A Comment

Skip to content