Secretaria de Saúde divulga índice de infestação do mosquito transmissor da dengue em Quatis

O percentual de infestação
em Quatis do mosquito transmissor da dengue, febre amarela, zika e chikungunya
constatado pelo LIRA (Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti),
realizado de 06 a 10 de maio, ficou abaixo de um por cento. O resultado é
considerado satisfatório nas ações de prevenção e combate à formação de focos
das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Estas ações são desenvolvidas
diariamente no Município por seis vigilantes sanitários e cinco agentes de
endemia do Serviço de Vigilância Sanitária e Ambiental da Prefeitura de Quatis.
Na foto, os agentes se preparam para a ação educativa realizada nesta semana,
nos bairros acima da linha férrea.

        No entanto, o resultado satisfatório do levantamento não
significa a inexistência de focos do mosquito transmissor da dengue na cidade.
Normalmente, são promovidos quatro edições do LIRA nos municípios fluminenses,
por amostragem, em um número determinado de trechos das cidades, determinado
pela Secretaria estadual de Saúde. No levantamento ocorrido neste mês em
Quatis, foram feitas inspeções em 477 residências de diversos bairros da área
urbana, o que representa cerca de dez por cento da quantidade total de imóveis
de Quatis vistoriados pelo menos uma vez a cada período de dois meses.

O
índice de infestação em Quatis ficou em 0,2 por cento. Segundo a tabela do LIRA,
os percentuais medidos nos municípios podem ficar abaixo de um por cento
(resultado satisfatório); de um a 3,99 por cento (situação de alerta) e mais de
3,99 por cento (situação de risco).

        – Durante as inspeções do LIRA encerrado na semana passada,
foram eliminadas pelos nossos agentes quatro larvas do mosquito Aedes Aegypti,
três deles no bairro Jardim Pollastri e o outro no bairro Nossa Senhora do
Rosário. Os cuidados precisam ser cada vez mais redobrados por parte da população,
principalmente evitando objetos com água parada, ambiente muito propício à
formação de focos da doença – declarou a coordenadora de Vigilância Sanitária e
Ambiental do Município, Marta Maria da Silva Pires.

        Segundo Marta, nas visitas domiciliares, os agentes de
endemia e os vigilantes sanitários orientam os moradores sobre os cuidados para
evitar a formação dos focos e eliminam os objetos com água parada, além de
eliminarem imediatamente as larvas por ventura detectadas durante as inspeções.
Os agentes de saúde inspecionam ainda o cemitério municipal, ferro-velho e
estabelecimentos que armazenam pneus.

Leave A Comment

Skip to content