• Brasão Prefeitura de Quatis
  • Prefeitura
    de Quatis
    Laço Azul em conscientização ao Novembro Azul
Menu Principal

Notícias

Caminhada em Quatis marcará Dia de Combate ao Abuso Sexual contra Crianças e Adolescentes

Por em 14/05/2018

Prosseguem nesta quarta-feira, dia 16, as atividades programadas pela Prefeitura de Quatis em razão do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes, que este ano vai transcorrer na próxima sexta-feira, 18 de maio. A programação na cidade foi organizada através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos. A abertura das atividades aconteceu na manhã desta segunda-feira, através de uma campanha informativa junto aos alunos do CIEP Municipalizado Marciana Machada De Elias (Nossa Senhora do Rosário).

              Na quarta-feira, a programação prevê outra campanha educativa para estudantes da rede municipal, desta vez aos alunos da Escola Municipal Henry Nestlé (São Benedito), que será realizada às 11 e 13 horas. Já na quinta-feira, 17, haverá panfletagens em três locais: próximo à estação ferroviária do bairro São Benedito (11h30m), Praça Teixeira Brandão e pórtico de acesso a Quatis (em ambos os locais, às 13h30m). Por sua vez, no dia 18 de maio, ou seja, na sexta-feira desta semana, acontecerá uma caminhada, cuja saída será às 8h30m, em frente ao CRAS do bairro Jardim Independência (Centro de Referência de Assistência Social). A caminhada vai se dirigir até a Praça Teixeira Brandão.

              O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes tem como objetivo conscientizar a população sobre a necessidade de denunciar todos os casos às autoridades competentes, além de informar os pais ou responsáveis sobre os comportamentos das crianças e dos adolescentes que possam sinalizar a prática destes crimes. A escolha do dia 18 de maio se deve ao episódio do qual foi vítima uma menina residente em Vitória, no estado do Espírito Santo. No ano de 1973, nesta data, ela foi sequestrada, espancada, estuprada, drogada e assassinada, tendo o seu corpo sido localizado seis dias depois, totalmente desfigurado com ácido.

              - A proposta da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos visa despertar a atenção dos moradores de Quatis no enfrentamento desta questão, que afeta muitos municípios brasileiros. A realização de medidas preventivas se faz necessárias no sentido de diminuir os riscos de ocorrências destes casos, bem como orientar a população a respeito dos procedimentos que precisam ser adotados para assistir as vítimas, denunciar os agressores e trabalhar para que os mesmos sejam punidos, de acordo, obviamente, com as medidas previstas em lei – declarou a coordenadora do CREAS – foto (Centro de Referência Especializado em Assistência Social), Flávia Paiva.

              Localizado na Rua coronel José Leite 72, próximo ao trecho da linha férrea que divide os bairros do Centro e São Benedito, o CREAS é a repartição da Prefeitura de Quatis encarregada de receber as denúncias no âmbito da administração municipal, oferecer todo o acompanhamento especializado às vítimas e aos seus familiares e encaminhar os casos às autoridades competentes para o trabalho de investigação.

              As denúncias podem ser feitas pessoalmente neste órgão,  de segunda a sexta-feira, de 8 às 17 horas; através do telefone 3353-6122, ou por meio do Conselho Tutelar. O Conselho Tutelar funciona 24 horas por dia, inclusive nos fins de semana e feriados, por meio do sistema de plantão. Outros telefones disponibilizados para denúncias anônimas são os seguintes 100 (Disque Direitos Humanos) e 190 (Polícia Militar).

              Denominada “Faça Bonito - Proteja nossas crianças e adolescentes”, a edição deste ano da campanha educativa pelo Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes destaca os seguintes comportamentos na criança e/ou no adolescente, que podem indicar a ocorrência destes crimes: apresenta marcas de agressão ou machucados, tem dificuldade de andar ou sentar; a criança está agressiva, irritada ou machuca o próprio corpo; está muito quieta, triste, medrosa ou chorosa; passou a ter transtornos alimentares, alterações de sono, fica cansada fora de hora ou tem dificuldade para dormir; mudou seu comportamento e aparência; está desatenta na escola ou desinteressada em atividades e brincadeiras; apresenta dificuldades de aprendizagem; faz desenhos agressivos, que mostrem situações de medo ou cenas envolvendo questões sexuais; evita ir para alguns lugares ou encontrar alguma pessoa.