Feira livre já conta com feirantes de três bairros e trabalhadores do assentamento rural

A feira livre de Quatis
(foto), que se encontra em fase de implantação pela prefeitura, através da
Secretaria Municipal de Trabalho e Renda, já conta com feirantes dos bairros
Santo Antônio, Alto Paraíso e Santo Antônio, além de produtores do Movimento
dos Trabalhadores Sem Terra Irmã Dorothy, cuja localização fica às margens da
estrada em direção ao distrito de São Joaquim. Para os próximos dias, estão
previstas as participações de mais quatro feirantes, um deles do bairro Jardim
Independência. A feira livre tem ainda a participação de artesãos do Município,
que estão sendo incorporados a este programa da prefeitura voltado à geração de
renda na cidade.

        Os novos dados relacionados à feira livre foram divulgados
nesta semana pelo secretário de Trabalho e Renda do Município, Vinícius Lima.
Ele lembrou que a comercialização das mercadorias acontece desde o mês passado,
sempre aos domingos, de 8 às 13 horas, na Praça Getúlio Vargas (praça da Igreja
Matriz de Nossa Senhora do Rosário), no Centro.

Na
edição realizada no domingo passado, dia 15, o espaço contou com 16 feirantes,
os quais comercializaram, entre outras mercadorias, verduras, legumes, frutas,
flores naturais, pipoca, bolo e pão com linguiça. Já nos próximos domingos,
passarão a fazer parte feirantes que vão vender mais hortaliças e caldo de cana
com pastel.

        Criada a partir do ano passado, por meio da publicação de um
decreto assinado pelo prefeito Bruno de Souza (MDB), com base em uma lei de
autoria do vereador Emerson Cabeludo (Cidadania), a feira livre vai reunir,
numa primeira etapa, 30 feirantes, mas esse número poderá ser ampliado nos
próximos meses, mediante a demanda de produtores cadastrados pela Secretaria de
Trabalho e Renda da Prefeitura de Quatis.

        – As iniciativas voltadas à geração de renda aos
trabalhadores de Quatis têm sido um dos caminhos percorridos pela administração
do prefeito Bruno de Souza com o objetivo de enfrentar a crise do desemprego da
qual a maioria das cidades brasileiras é vítima. Trata-se de um problema social
do nosso país. Portanto, qualquer morador pode se cadastrar no programa da
feira livre, desde, é claro, que tenha uma produção suficiente para
comercializar no espaço – declarou o secretário Vinícius Lima, acrescentando
que a comercialização na feira só pode ser feita mediante a emissão do alvará
de licença por parte da Prefeitura de Quatis.

        De acordo com o secretário de Trabalho e Renda, os
interessados em participar do projeto devem ser inscritos no Programa MEI
(Microempreendedor Individual) ou no próprio programa da feira livre, cujo
público-alvo é formado pelos  produtores
e empreendedores de pequeno porte, moradores de Quatis. O domicílio residencial
na cidade representa uma das exigências para fazer parte da feira livre.

        O decreto do prefeito Bruno de Souza que está possibilitando
a implantação da feira no Centro da cidade estabelece normas para garantir o
ordenamento, a higiene e as condições de saúde da população. Entre estas
regras, estão expressamente proibidas, a comercialização de produtos estranhos
à atividade na qual o feirante se encontra cadastrado; a exposição de
mercadorias fora dos limites do espaço previamente determinado; a venda de
alimentos impróprios para consumo, com peso e medida irreal; e o lançamento na
área da feira ou nos arredores, de gordura, detritos ou lixo de qualquer
espécie, quando não devidamente acondicionado.

        Outras informações podem ser obtidas de segunda a
sexta-feira, de 8 às 17 horas, na Secretaria Municipal de Trabalho e Renda. A
secretaria funciona no Centro Administrativo da Prefeitura de Quatis (segundo
andar). O telefone para contato é 3353-2918 (ramal 211).

       

Leave A Comment

Skip to content