Febre amarela: vacina na zona urbana é aplicada em cinco postos médicos

Cinco unidades médicas
localizadas na área urbana de Quatis estão aplicando as doses da vacina contra
a febre amarela, dentro da proposta da prefeitura em ampliar a imunização
visando diminuir os riscos da doença na cidade. Quatro das unidades são os
módulos do Programa Saúde da Família dos bairros Nossa Senhora do Rosário,
Mirandópolis (foto), Jardim Independência e Jardim Pollastri. Já a outra
unidade é a Casa da Criança, que fica na Praça Getúlio Vargas 7, no Centro,
próxima à igreja matriz de Nossa Senhora do Rosário.

        A secretária municipal de Saúde, Ana Lúcia Galvão, informou
que nos módulos do Programa Saúde da Família, a vacinação acontece de segunda a
sexta-feira, de 9 às 16 horas, mesmo horário de aplicação das doses na Casa da
Criança. Só que na Casa da Criança, as doses são aplicadas apenas nas
terças-feiras, mas, dependendo do aumento da demanda, a prefeitura pode
acrescentar mais dias úteis da semana para atender as pessoas que procurarem a
unidade em busca do medicamento.

        – Estudos médicos indicam que a época mais propícia para a
propagação do vírus da febre amarela vai de dezembro a maio. Portanto, estamos
no período em que o número de casos costuma aumentar, daí a necessidade extrema
de redobrar os cuidados para evitar a doença. Só existe um meio através do qual
se torna possível impedir o contágio da febre amarela. Este caminho é a vacina –
disse Ana Lúcia, acrescentando que a Prefeitura de Quatis já está organizando
as atividades relacionadas ao “Dia D” de imunização contra a febre amarela, que
será realizado no sábado da próxima semana, 27 de janeiro, nos 92 municípios do
estado do Rio de Janeiro.

        Em boletim divulgado na noite desta quarta-feira, 17, a
Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria estadual de Saúde informou
que cinco casos de febre amarela já foram confirmados no estado do Rio de
Janeiro, três deles na cidade de Valença e os outros dois em Teresópolis, na
região serrana, dos quais três chegaram a óbito (dois em Valença e o outro no
município de Teresópolis). Já em Niterói foi registrado um caso de febre
amarela em macaco.

As
autoridades médicas estaduais lembram que o macaco não transmite a febre amarela,
cujo contágio é feito através da picada dos mosquitos Haemagogus e Sabethes,
ambos casos de origem silvestre, além do mosquito Aedes Aegypti (tipo urbana). Ao
picar uma pessoa ou um macaco com a doença, o mosquito se torna transmissor da
febre amarela. Qualquer pessoa pode contrair a doença, desde que viva ou tenha
visitado alguma área onde há circulação do vírus.

 

 

Leave A Comment

Skip to content