Chuvas: Prefeitura reforça esquema de prontidão

         Diante da possibilidade de chuvas em Quatis nos próximos dias, o
prefeito Bruno de Souza (PMDB) reafirmou na manhã desta quinta-feira, 02 de
março, que as secretarias municipais estão mobilizadas para atuar de forma
integrada com o objetivo de realizar ações preventivas e de combate aos
transtornos causados por possíveis tempestades no Município. Ele lembrou que o
esquema de prontidão voltado ao atendimento dos casos de urgência nas estradas
rurais está entre as ações realizadas sob a coordenação deste sistema
integrado.

        Segundo previsão do
Serviço de Meteorologia do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), há
previsão de chuvas diárias em Quatis pelo menos até a próxima quinta-feira, dia
09, a maioria delas com trovoadas, e sempre no período da tarde. De acordo
ainda com esta previsão, as chances de realmente ocorrerem chuvas no Município
neste período variam de 80 a 90 por cento.

 Independente das chuvas previstas para os
próximos dias, Bruno acrescenta que normalmente os temporais costumam acontecer
com mais intensidade de outubro a março, razão pela qual a prefeitura resolveu
adotar medidas preventivas no sentido de enfrentar prováveis problemas
decorrentes dos temporais.

– O sistema de
trabalho integrado entre as secretarias municipais da Prefeitura de Quatis já
está em funcionamento, sob a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil. O
Município realiza durante o ano inteiro os serviços de prevenção visando
diminuir os riscos de problemas provenientes das chuvas, entre eles as obras de
infraestrutura e os serviços de limpeza urbana (foto), mas a força da natureza
é imprevisível. Por isso, devemos estar sempre preparados – disse o prefeito.

Denominada “Operação
Verão 2016/2017”, o sistema integrado de ações contra as chuvas da Prefeitura
de Quatis é formado pelas secretarias municipais de Obras, Urbanismo e Serviços
Públicos; Desenvolvimento Rural; Assistência Social e Direitos Humanos;
Educação; Transportes; Meio Ambiente; Administração; Saúde; Governo; Esporte e
Lazer; Cultura e Turismo; Trabalho e Renda; Ordem Urbana, além do gabinete do
prefeito, da Procuradoria Geral do Município; da Controladoria Geral do
Município; e da própria Defesa Civil. Entre as atribuições do sistema integrado
estão o socorro imediato aos possíveis casos de inundações, alagamentos,
enxurradas, granizos e vendavais, entre outros desastres naturais.

No decreto assinado
pelo prefeito Bruno de Souza (PMDB), cujo teor prevê a realização de medidas
preventivas, assistência às famílias afetadas e recuperação das áreas
atingidas, está previsto também o deslocamento de servidores municipais da sua
pasta de origem para trabalhar no sistema integrado de prevenção contra as
chuvas. A cessão dos servidores é pelo tempo necessário, sem que a lotação do
funcionário no esquema de prontidão implique em qualquer remuneração extra ou
diferenciada. O trabalho conjunto entre as secretarias municipais vai vigorar
pelo menos até o dia 30 de abril, mas poderá ser prorrogado pelo prefeito.

– Todas as ações
preventivas contra as consequências de chuvas fortes ou qualquer outro desastre
natural fazem parte do Plano de Contingência do Município. Através deste plano
de contingência, a prefeitura pode decretar estado de calamidade pública ou
situação de emergência, o que torna mais rápidos os procedimentos
administrativos e financeiros visando à liberação dos recursos necessários ao
socorro das vítimas – concluiu o prefeito, acrescentando que a administração
municipal realiza ainda campanhas educativas de orientação à população,
principalmente no caso das famílias residentes em áreas consideradas de risco.

Durante o primeiro
mandato de Bruno de Souza à frente da Prefeitura de Quatis (2013-2016), em pelo
menos duas vezes, as chuvas fortes provocaram transtornos graves aos moradores
do Município. Em outubro de 2013, por exemplo, cerca de 500 pessoas ficaram
desalojadas em consequência de uma tempestade.

Já na segunda quinzena
de dezembro do ano passado, uma tromba d`água causou o transbordamento de rios
e córregos da cidade, alagou ruas e inundou várias casas, deixando 32 famílias
desabrigadas. Devido à ocorrência deste temporal, alunos da Escola Municipal
Victória Maria Prazeres (Jardim Polastri) ficaram sem aulas e a prefeitura teve
que realizar reparos na tubulação do sistema de abastecimento de água do
Município. Biquinha, Mirandópolis e Pilotos estiveram entre os bairros mais
atingidos.

Leave A Comment

Skip to content